PF investiga suposto esquema de lavagem de dinheiro envolvendo servidor do Ministério da Infraestrutura

Agentes cumprem quatro mandados de busca e apreensão, além do bloqueio de contas bancárias, veículos e imóveis dos investigados. Ação ocorre em endereços do DF e Goiás; G1 aguarda posicionamento da pasta.

Fachada da Superintendência da Polícia Federal em Brasília — Foto: Beatriz Pataro/G1
Fachada da Superintendência da Polícia Federal em Brasília — Foto: Beatriz Pataro/G1

A Polícia Federal deflagrou uma operação, nesta sexta-feira (22), para investigar um esquema de lavagem de dinheiro no Ministério da Infraestrutura supostamente cometido por um servidor público. A suspeita também é da prática de outros crimes como corrupção passiva e sonegação fiscal.

Ao todo, estão sendo cumpridos quatro mandados de busca e apreensão, além do bloqueio de contas bancárias, veículos e imóveis do servidor e de outros investigados. A ação ocorre em endereços de Brasília e de Cidade Ocidental (GO), no Entorno do DF.

Os mandados foram expedidos pela 12 ª Vara da Justiça Federal do DF. Até a última atualização desta reportagem, não houve prisões em flagrante. O G1 aguarda um posicionamento do ministério.

PF investiga suposto esquema de lavagem de dinheiro envolvendo servidor do Ministério da Infraestrutura — Foto: PF/Divulgação
PF investiga suposto esquema de lavagem de dinheiro envolvendo servidor do Ministério da Infraestrutura — Foto: PF/Divulgação

A Justiça Federal também determinou o afastamento preventivo do servidor público. A identidade dele não foi informada. A medida vale pelos próximos 30 dias.

A investigação começou no ano passado, a partir de apurações da Controladoria Geral da União (CGU) e da Subsecretaria de Conformidade e Integridade (SCI) – esta última vinculada ao Ministério da Infraestrutura.

De acordo com a PF, a apuração demonstrou que o servidor suspeito “apresentou crescimento patrimonial incompatível com sua renda, bem como a realização de gastos incompatíveis com sua remuneração“.

“Os dados e informações já obtidos também apontam para a possível utilização de parentes na lavagem de ativos, bem como a construção de uma casa de luxo e aquisição de veículos com os valores não declarados”, disse a PF, em nota.

G1


By: miradouronoticias.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *