FABRICANTE DE CIGARROS É ALVO DE OPERAÇÃO DE COMBATE Á SONEGAÇÃO

Um esquema de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro, envolvendo um grupo econômico no mercado de fabricação de cigarros de palha e cachaçaria, foi revelado, nesta quinta-feira (13).

Uma força tarefa da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a Secretaria de Estado de Fazenda (SEF) cumpriu sete mandados de busca e apreensão em endereços comerciais e residenciais, na cidade na cidade Pitangui, região Centro-Oeste do estado. A operação conjunta recebeu o nome de “Paieiro”. Durante a operação, foram apreendidos documentos, cigarros e cerca de R$ 1 milhão em espécie, além de duas armas e munições.

As investigações tiveram início a partir de irregularidades constatadas pela fiscalização em trabalhos de auditoria, especificamente após análise do quantitativo de notas fiscais recebidas e emitidas pelas empresas contribuintes. A confrontação de valores revelou indícios da venda de cigarros de palha e cachaça em grande quantidade, sem documentação fiscal.

O grande volume de produção e venda não declarados gerou um lucro que, de acordo com as investigações, pode ter sido usado para a aquisição de mais de uma dezena de imóveis em bairros nobres de Belo Horizonte e Nova Lima. Estima-se que a prática da sonegação tenha ocasionados prejuízos da ordem de R$ 20 milhões aos cofres públicos.

Segundo a Delegada Karla Hermont, foi feita “copiagem” dos eletrônicos arrecadados e foram apreendidas duas armas de fogo. A Delegada contou, ainda, que havia muito dinheiro dentro de uma mala, encontrada na casa da mãe de um suspeito. “Ela não soube dizer a origem desse dinheiro, mas nas investigações consta que ela movimenta milhões na conta corrente do banco e tem procuração para o filho”, disse. Vários documentos de registro de imóveis e veículos foram achados pela PCMG durante a Operação “Paieiro”.

O trabalho foi mais uma ação conjunta desenvolvida no âmbito do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (CIRA) e contou com a participação de 18 policiais civis, três Promotores de Justiça, dois Delegados e 29 servidores da Receita Federal.

By; Miradouronoticias.com.br/PCMG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *